Marquinho Advogado pede a cassação dos vereadores Clodovil Aizza e Roberto Sperandio

17/06/2016 - Vereador Marquinho Advogado

O vereador Marcos Antônio Lopes (Marquinho Advogado), formulou da Tribuna Legislativa durante o horário do Expediente da sessão Legislativa Ordinária, do último dia 06, segunda feira, o pedido de cassação dos mandatos dos vereadores Clodovil Domingos Aizza e Roberto Sperandio, por falta de Decoro e Ética Parlamentar.

Segundo Marquinho Advogado, ao assinarem solidariamente a matéria veiculada pelo Jornal O NOVO em sua edição de número 459, datada de sexta feira, dia 13 de junho, os dois vereadores faltaram com o Decoro e com a Ética Parlamentar ao querer fazer os leitores do semanário entenderem que o prefeito Gilberto Roza e os vereadores AndréLuis de Souza, Antônio Chefe, Fabiano Grégio, Fernando Carlos Salin, Marilena Pereto, Marcos Antônio Lopes e Neli Aparecida Cardoso Pasiani, todos da base aliada, desviaram dinheiro destinado à cota Patronal do Fundo Municipal de Seguridade (FMS). “Não se pode sair atacando as pessoas simplesmente por conta da proximidade das eleições e por divergências políticas”, lamentou Marquinho, ao destacar que todos os vereadores são pessoas responsáveis de vida ilibada e de total confiança da comunidade, tanto que foram eleitos para um mandato de quatro anos para defender os interesses da comunidade. “É lamentável que isso tenha acontecido, mas não podemos ficar calados. Por isso pedi a cassação do mandato dos vereadores que também são presidentes de partidos políticos e assinaram a matéria faltando com o decoro com os demais colegas de Legislativo. Além desse pedido de cassação, em conjunto com o prefeito e os demais vereadores, estamos tomando as medidas judiciais cabíveis contra todos os envolvidos com essa matéria, que tem a finalidade de difamar a nossa imagem”.

Durante as explicações pessoais na Tribuna, o vereador Clodovil Aizza afirmou que estava tranquilo quanto às acusações. “Vou chegar em casa, colocar a cabeça no travesseiro e dormir tranquilamente. Não acusei de roubo e a nota publicada no jornal citava sobre um desvio”, finalizou Aizza.

O requerido pelo vereador Marquinho Advogado foi encaminhado pela Mesa Diretora e será lido e colocado em votação dos demais vereadores na próxima sessão Legislativa Ordinária a ser realizada dia 20 de junho de 2016.  Se aprovado, o requerido segue para a Comissão de Decoro Parlamentar, que terá a tarefa de ouvir os envolvidos e, em seguida, elaborar um relatório que definirá o destino político dos dois vereadores.